Programa de voluntários

ESCOLA DE PERMACULTURA apresenta:       

 

Programa de voluntários em permacultura

 

“O voluntário é aquele que, por livre e espontânea vontade e disposição, doa seu tempo e energia para alguma causa em que acredite, no intuito de ajudar, agregar, fortalecer, cuidar e partilhar, beneficiando, sendo solidário, justo e humano.”
Daniel Calfa

 

 

QUEM SOMOS

 

 

Somos uma rede de pessoas que se reúne para trabalhos físicos, mentais e espirituais, em busca de aprendizados, autoconhecimento, sustentabilidade, polimento ético e moral, através do seva (servir por amor e com amor), do labor meditativo, da desconstrução de paradigmas, e do empoderamento de bons hábitos para curar-se, curando uns aos outros em comunhão com a Terra.

 

Reconhecemos a importância das ações dos voluntários e, em nossas vivências, dedicamos vagas para aqueles que querem participar mais intensamente do dia a dia da escola, focalizando uma das áreas de atuação entre as éticas da permacultura, quais sejam, cuidar das pessoas, cuidar da terra e partilhar. Estas áreas são a base da integração permacultural, por isso, é tão importante que todos participem ativamente delas.

 

Assim, na Escola de Permacultura, os voluntários ficam responsáveis por apoiar os facilitadores e fazer funcionar a engrenagem das vivências, atuando na cozinha, harmonização, oficinas, dinâmicas, atividades, e logística, além das inúmeras outras funções fundamentais para o bom desempenho das tarefas cotidianas.

 

 

VOLUNTÁRIOS

 

 

O voluntário é aquele que se satisfaz ao ajudar os outros. Simples assim! Deve ter humildade, consciência, e responsabilidade. O voluntário visa o bem estar do coletivo, independente do motivo que o traga a servir. O voluntário pratica o serviço como uma forma de construir um mundo melhor!

 

Voluntários são aprendizes com mais responsabilidades. Colaboram e atuam juntos aos facilitadores, dando suporte e agilizando funções. Voluntário não inventa o que quiser fazer pra ajudar, ele segue a proposta da Escola, e atua conforme o nosso direcionamento.

 

O voluntário vem para fortalecer a equipe, atuando em funções básicas, em paralelo às atividades principais da vivência. O voluntário é da equipe da casa, e pedimos encarecidamente que tenha bom senso e esteja concentrado na sua função, principalmente se estiver na cozinha.

 

Nas vivências permaculturais que promovemos, solicitamos que o voluntário dedique no MÍNIMO  6 horas por dia, todos os dias, tempo esse suficiente e necessário para se empoderar das funções e desenvolver em si atitudes como a responsabilidade, empatia, altruísmo, o cuidado com o próximo e com a natureza, a partilha justa, a prática com ferramentas, a consciência ambiental e o espírito coletivo através do seva. Contamos ainda, que cada voluntário ensine e capacite o voluntário do próximo turno, facilitado o aprendizado, através da troca de experiências já vivenciadas na prática, além de colaborar na supervisão e apoio às tarefas das quais já se empoderou, por toda a VIDA. Assim, evitamos acidentes, desperdícios e prejuízos, tornando a vivência sustentável para todos e em todos os campos.

 

As atividades são organizadas por escalas e áreas de atuação, para a efetiva distribuição das tarefas. Assim, visamos a autonomia e o exercício da auto responsabilidade dos voluntários.

 

O quadro de tarefas é complexo de ser montado e contamos com a colaboração de todos no cumprimento das tarefas. Ao chegar, vá direto ao quadro de horários para compreender e se localizar!

 

Fazemos reuniões diárias no café da manhã para atualizar as atividades do dia, e definir quem serão os facilitadores e os voluntários assistentes. Esteja presente e empodere-se!

 

Os voluntários que não cumprirem com suas tarefas pelo segundo dia, serão convidados a se retirar. Não temos tempo e energia a perder com quem não estiver realmente disposto a colaborar. Nós priorizamos a realização do serviço e a boa vontade sempre.

 

Somos flexíveis, buscamos uma nova maneira de relacionamento com as pessoas, o trabalho e os recursos, e isso demanda dedicação exclusiva para mantermos o projeto. Seja honesto consigo e só venha se realmente estiver disposto a abrir mão dos caprichos pessoais em prol do coletivo.

 

E por amor, preste muita atenção no que está fazendo. Observe, e só depois de assimilar, interaja. Não saia fazendo o que der na telha, se você não sabe fazer.  Peça ajuda e venha disposto a reaprender o que possa ter aprendido sob os moldes do consumismo. Tenha cuidado para não quebrar, danificar, estragar as ferramentas, os utensílios, os móveis e instrumentos da escola, e dos outros colaboradores. Não desperdice água, alimentos, energia elétrica e outros recursos finitos, mesmo que eles pareçam abundantes. Não temos orçamento destinado para cobrir prejuízos. Para que o compartilhamento das coisas seja honesto e sustentável, o capricho de quem usa é fundamental. NÃO ESTAMOS NUM PARAÍSO HIPPIE e sim no mundo real.

 

Vivemos e praticamos o consumo consciente. Não seja um peso no barco!

 

Cuide das pessoas, dos animais e de si mesmo. Muito cuidado para não se machucar, ou causar acidentes. O serviço médico mais próximo fica a uma hora de distância, portanto, esteja sempre atento às dicas de segurança! Seja responsável!

 

 

 

“serviço voluntário é trabalho puxado, não combina com folgado!”

 

 

 

COMO FUNCIONA

 

Na perspectiva de cuidar das pessoas, consideramos tarefas comuns o cuidado e carinho com os alimentos, o fino trato com as pessoas, a integração, a limpeza da cozinha e banheiros, cuidados em geral com a casa, dormitórios e locais de uso comum, o cuidado de alimentar e oferecer água aos animais,  o cuidado com o desperdício de água, energias e alimentos, o uso correto de utensílios e ferramentas da casa, principalmente os da cozinha, enfim, suprimir as demandas necessárias para uma harmonia de fluxos, pessoas e recursos. Significa ajudar na COZINHA OU HARMONIZAÇÃO.

 

Na perspectiva de cuidar da terra, consideramos preservar tudo, através das tarefas cotidianas do cuidado das ferramentas, a conscientização de quem as usa pela primeira vez, a organização das oficinas e locais de atividades, a manutenção e manejo dos canteiros, hortas, trilhas e árvores, o cuidado e manejo das fontes dágua e encanamentos, a reforma e consertos na bioconstrução, a carga de materiais e soluções de demandas expontâneas que surgem a todos os momentos. Significa ajudar no PLANTIO OU BIOCONSTRUÇÕES

 

Quanto à partilha, consideramos o compartilhamento de idéias, habilidades, experiências, conhecimentos, benesses e amores. Convivemos em grupo, alimentamos mutirões, cavamos buracos profundos, trabalhando intensamente, carregando peso pesado e buscamos causar impactos positivos por onde passamos. Significa facilitar atividades nas áreas AÇÃO, PLANEJAMENTO E AUTOGESTÃO DO COLETIVO

 

Assumimos a tarefa de permaculturar as pessoas e os ambientes, e a única certeza que trazemos é que para alcançarmos esse objetivo devemos nos unir! Pra isso, contamos com a ajuda de voluntários, colaboradores, facilitadores e todos os interessados em fazer parte dessa mudança!

 

 

 

CARACTERÍSTICAS QUE ESPERAMOS DOS VOLUNTÁRIOS

 

 

INICIATIVA

PROATIVIDADE

AUTONOMIA

DISCIPLINA

CONSCIÊNCIA

RESILIÊNCIA

EMPATIA

ALTRUÍSMO

COMPAIXÃO

ABUNDÂNCIA

CUIDADO

SERVIÇO

RESPONSABILIDADE

COMPROMISSO

LUCIDEZ

PRESENÇA

RESPONSABILIDADES

 

 

O programa voluntariado faz parte de uma metodologia de aprendizado na prática, portanto, todos os dias são importantes para alcançar o objetivo, qual seja, da aprendizagem. Por isso, solicitamos que o voluntário chegue três dias antes, ou saia três dias depois, dependendo da ocasião.

 

O voluntário deve trazer seu kit refeição contendo prato, copo ou caneca, talheres, além do kit cama contendo edredon, lençois, colchonete/saco de dormir, isolante térmico, barraca de camping ou rede e mosquiteiro, e o que mais achar necessário para dormir confortável.

 

Quanto às roupas, o ideal é trazer o mínimo possível. Roupas leves e fáceis de lavar servirão para o trabalho durante a vivência. Um casaco e uma calça são suficientes (na época de frio), tênis e chinelo. Não esquecer das roupas de banho, para entrar na cachoeira.

 

Para o kit banho, toalha, papel higiênico e produtos de higiene pessoal. Indicamos que tragam preferencialmente os produtos biodegradáveis e não poluentes. Há inúmeras opções já disponíveis e fáceis de fazer.
Ex: Sabão de côco ou glicerina, pó dental, bicarbonato de sódio (substitui shampoo), vinagre de maçã (substitui condicionador), óleo de côco (hidratante) etc.

 

Outros ítens indispensáveis são: colchonete, edredon ou saco de dormir, caderno e caneta, lanterna, tênis ou bota confortável, meias grossas, luvas, chapéu, guloseimas e laricas, sementes e castanhas, chocolates e o que mais queira compartilhar, assim como algo para trocar na feira de trocas. Aqueles que tiverem facão e ferramentas de poda, podem trazê-las também.

 

Pedimos que por amor, tenha bom senso, e mantenha seus pertences guardados e organizados no seu ninho!

 

Não nos responsabilizamos por perdas ou danos.

 

Colabore!

 

 

CHEF DE COZINHA

 

 

O chef de cozinha na Escola de Permacultura é um dos pilares para a sustentação, desintoxicação e cura dos participantes, pois os processos que estimulamos estão todos direta ou indiretamente ligados à alimentação. Por isso é fundamental que a equipe de cozinha esteja empoderada e consciente de suas tarefas e responsabilidades.

 

Após muitas experiências e tentativas, encontramos como melhor metodologia o regime de rodízios (plantão): o Chef trabalha 1 (um) dia inteiro desde o café da manhã até a janta (tendo o período livre de descanso entre os turnos de limpeza), e fica 2 (dois) dias de folga para participar das outras atividades e descansar (*conforme disponibilidade e tamanho do grupo, o chef pode ser solicitado a ajudar num dos dias de folga).

 

O Chef e o encarregado de cozinha, são os responsáveis por direcionar os voluntários ao trabalho. Sugerimos que a equipe básica de cozinha seja composta por um chef + 3 voluntários, sendo dois ajudando diretamente o chef e o terceiro ficando responsável pela limpeza e secagem de utensílios e panelas durante o preparo das refeições. Quando necessário, cabe ainda ao chef ou encarregado requisitar voluntários da LIMPEZA para varrer, harmonizar e lavar os panos de chão, que devem ser entregues limpos e torcidos.

 

Para cada evento, abrimos pelo menos 3 (três) vagas de chef, para viabilizar o rodízio e permitir que todos possam se dedicar ao serviço e também ter tempo nos outros dias para participar das outras atividades.

 

A cozinha da Escola de Permacultura pretende e se dedica à EXCELÊNCIA em servir uma alimentação nutritiva, gostosa, saudável e sustentável, sem gerar desperdícios, e sem sofrimento animal. Só coloque sua mão nos alimentos se tiver muito amor no coração!

 

 

 

Link para o > Script básico

 

Link para > Orientações da cozinha sustentável

 

FUNÇÕES BÁSICAS PARA VOLUNTÁRIOS

 

Abaixo, uma lista exemplificativa das tarefas e funções básicas que surgem e precisam ser executadas para o bom andamento das atividades. Pedimos que o voluntário esteja atento às demandas, e que não abandone seu posto no seu dia de dedicação. Pedimos ainda que repasse as instruções para o próximo grupo, e supervisione sempre as tarefas que já sabe desempenhar.

 

Na perspectiva de cuidar das pessoas, consideramos tarefas comuns o cuidado e carinho com os alimentos, o fino trato com as pessoas, a integração, a limpeza da cozinha e banheiros, cuidados em geral com a casa, dormitórios e locais de uso comum, o cuidado de alimentar e oferecer água aos animais,  o cuidado com o desperdício de água, energias e alimentos, o uso correto de utensílios e ferramentas da casa, principalmente os da cozinha, enfim, suprimir as demandas necessárias para uma harmonia de fluxos, pessoas e recursos. Significa ajudar na COZINHA OU HARMONIZAÇÃO.

 

 

  1. COZINHA: todas as funções relativas ao preparo da comida e manutenção do espaço.
    O voluntário facilita para os chefs responsáveis.

    – CAFÉ DA MANHÃ (para servi-lo às 7h, tem que começar às 5:30 no máximo)

    acender o forno ou fogão à lenha
    pães e bolos devem ser a primeira massa do dia a ser feita
    esquentar água para tomar um café ou chá de desjejum
    ferver água para cozinhar batatas ou inhames
    assar pães, biscoitos ou chapatis
    preparar frutas para servir em forma de mandala (descascar, cortar, servir)
    preparar a mesa e local de refeições
    servir os chás e cafés
    bater sucos e servi-los
    colocar os alimentos frios na mesa, cobertos, para evitar moscas
    colocar os elementos que faltem na mesa (pratos, talheres, copos, xícaras, tigelas)
    retirar a mesa
    limpar tudo, da cozinha ao refeitório
    lavar panos, torcer e estender para secar
    dispensar os resíduos orgânicos
    guardar tudo em seus devidos lugares
    lavar pratos, talheres, copos, e entregar a pia limpa para o próximo turno



    – ALMOÇO (servi-lo entre 12h e 13h)

    começar pelos grãos, que demoram mais pra cozinhar (demolha-se 8h antes)
    descascar, cortar, preparar legumes e vegetais
    preparar as mesas e refeitório
    preparar saladas
    servir o almoço
    retirar o almoço
    preparar ou lavar germinados
    lavar panelas
    limpar tudo, da cozinha ao refeitório
    lavar panos se necessário
    encaminhar os resíduos orgânicos para composteira
    lavar pratos, talheres, copos, e entregar a pia limpa para o próximo turno
              secar e guardar as louças




    – LANCHE (servi-lo entre 17h e 19h)

    começar pelos bolos, pães ou tortas
    utilizar o que possa ter sobrado do almoço ou café da manhã
    esquentar água
    preparar a mesa
    servir tudo quentinho e ao mesmo tempo
    em dias de sopa, fazer mais pães no lanche
    retirar a mesa
    lavar os germinados
    limpar tudo, da cozinha ao refeitório
    lavar panos se necessário
    dispensar os resíduos orgânicos
    lavar pratos, talheres, copos, e entregar a pia limpa para o próximo turno


    – JANTAR (servi-lo entre 19h e 21h)

    começar pelo que sobrou do almoço, deve ser utilizado para nao estragar
    utilizar da melhor maneira, transformando de forma criativa os alimentos
    em caso de sopas, fazer pães, chapatis ou biscoitos crocantes
    servir a janta
    retirar a mesa
    preparar e lavar os germinados
    limpar tudo, da cozinha ao refeitório
    lavar panos se necessário
    dispensar os resíduos orgânicos
    lavar pratos, talheres, copos, tudo e entregar a pia limpa para o próximo turno


  2. HARMONIZAÇÃO é manter a limpeza e organização dos espaços comuns.
    O voluntário facilita para o coletivo.

    – COZINHA E REFEITÓRIO

    limpar a pia
    limpar o fogão e geladeira
    limpar as mesas e cadeiras
    limpar o chão
    guardar os utensílios no lugar adequado, secos e organizados
    lavar pano de prato e estender para secar
    lavar pano de chão e estender para secar
    lavar baldes, bacias e tanques
    triagem do lixo reciclável e do resíduo orgânico
    levar a compostagem
    lavar o balde da compostagem
    averiguar frutas e verduras que estão maduras demais e colocar para uso
    dispensar as que estejam passadas
    averiguar a validade dos alimentos perecíveis e colocar como prioridade
    encher garrafas dágua e colocar para congelar
    catar cinzas na fogueira, peneirá-la e colocar na área de lavagem



    – CASA, SALÕES E RECEPÇÃO

    lavar os banheiros
    lavar a privada sempre que estiver zuada
    lavar a pia, espelhos, e box sempre que estiverem zuados
    limpar a sala, quartos, varandas
    limpar área de vivências
    organizar uma caixa de achados e perdidos
    colocar almofadas, tapetes e qualquer coisa mofada para pegar Sol
    acender incensos fora da casa
    desentupir vasos, pias e ralos
              


    – ALOJAMENTOS, CAMPING, ÁREA DE VIVÊNCIA

    limpar trilhas, caminhos, pontes, portais
    limpar áreas de atuação, retirar vidros e qualquer objeto que possa machucar
    limpar área da fogueira
               buscar lenha e guardar em local seco e coberto
               buscar matéria seca e matéria verde para a compostagem
               colher sementes locais para o banco de sementes
    limpar alojamentos, varrer, colocar panos para pegar sol
    manter os ambientes organizados e limpos
    organizar o camping de forma que ninguém corra risco
    enterrar o cocô dos bichos que estejam nessa área


 

 

Na perspectiva de cuidar da terra, consideramos tarefas cotidianas o cuidado das ferramentas, a conscientização de quem as usa pela primeira vez, a organização das oficinas e locais de atividades, a manutenção e manejo dos canteiros, hortas, trilhas e árvores, o cuidado e manejo das fontes dágua e encanamentos, a reforma e consertos na bioconstrução, a carga de materiais e soluções de demandas expontâneas que surgem a todos os momentos. Significa ajudar no PLANTIO OU BIOCONSTRUÇÕES

 

  1. OFICINAS

    organizar materiais
    consertar ferramentas
    recolher ferramentas abandonadas
    ficar atento e cuidar para que ninguém se machuque
    ensinar o manuseio e função de cada ferramenta
    amolar ferramentas
    limpar a oficina
    preparar materiais (barro, areia, bambu, lonas, baldes, água, ferramentas etc)
    cavar buracos
    movimentar e deslocar terra, areia, pedras e outros materiais
    colher bambu e outras matérias primas
    buscar lenha e guardar em local seco e protegido
               buscar matéria seca e matéria verde para a compostagem
    consertar encanamentos, torneiras, pias e ralos
    consertar eletrodomésticos
    consertar portas, janelas
    cuidar das hortas e agroflorestas
    cuidar das fontes dágua, encanamentos e registros
    manejar a natureza em diversos aspectos
    recolher materiais e encerrar as oficinas
    limpar a área de uso
               recolher e descartar adequadamente os resíduos
  2. DINÂMICAS E ATIVIDADES

    colaborar com os facilitadores e coordenadores
    estar atento as demandas que possam surgir
    estar atento para que nenhum fator externo atrapalhe o andamento das atividades
    sempre alerta para emergências
    fazer anotações, observações e sugestões para melhoria
    organizar o local das dinâmicas e atividades com antecedência
    limpar o local após o uso
    recolher materiais e eventuais resíduos gerados durante atividades

 

 

Quanto à partilha, consideramos o compartilhamento de idéias, habilidades, experiências, conhecimentos, benesses e amores. Convivemos em grupo, alimentamos mutirões, cavamos buracos profundos, carregamos peso pesado e buscamos causar impactos positivos por onde passamos. Significa facilitar atividades nas áreas AÇÃO, PLANEJAMENTO E GESTÃO

 

  1. LOGÍSTICA


    carregar materiais
    organizar materiais
    transportar pessoas
    transportar alimentos da garagem para cozinha
    transportar alimentos da agrofloresta para a cozinha
    transportar pesos maiores
    transmitir mensagens
    desenvolver tecnologias para agilizar procedimentos e metodologias
    pensar novas alternativas e solucionar demandas espontâneas
    ir na rua sempre que necessário
    atualizar as planilhas e quadros de aviso
    repor materiais e recursos necessários durante a vivência
    preparar e colar cartazes
    participar das finanças
    participar do planejamento das ações
    facilitar oficinas, atividades e dinâmicas



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Para todos aqueles que concordam com as idéias aqui expostas, fazemos o convite para participar do corpo de voluntários da Escola de Permacultura!

 

 

  • Os voluntários com bom desempenho, gente boa, caprichosos, bem dispostos e proativos são convidados a participar nas próximas vivências e sempre que possível ganham bons descontos (e até gratuidades). Queremos integrar e fortalecer essa rede de multiplicadores do conhecimento em permacultura, sustentabilidade e educação ambiental.

 

 

 

 

Aho!!!

 

Equipe Escola de Permacultura

 

 

 

contatos

ecodecor.lab@gmail.com

https://www.facebook.com/escola.permacultura/

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Escrito por Daniel Calfa em 1 de março de 2015, em Itaipuaçú, RJ

 

link para download https://docs.google.com/document/d/1Xn4mu0a_LIE5SkUbilmNZwguUEVRpsl4L_VsgkJa2Ho/edit?usp=sharing